CIDADE REVITALIZADA

CIDADE REVITALIZADA

Apresentamos à cidade o projeto Revitalizar para Competir, uma proposta de modernização e melhoria da ambiência urbana do Centro de Nova Lima, que será realizada em parceria com a Associação Comercial e Empresarial de Nova Lima, Câmara da Mulher Empreendedora, com apoio de empresários locais.

Um trabalho inovador, feito com muito cuidado e critério, que abrange desde o Bicame até a Praça do Senai e contribuirá para aumentar a competitividade do comércio local, diante do crescimento de outros polos comerciais da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Temos trabalhado diuturnamente para melhorar os serviços prestados e elevar a qualidade de vida em nossa cidade.

Atentos ao cuidado com a cidade, ao meio ambiente e à saúde da população, realizamos nesta semana uma reunião técnica com a Copasa para tratar da ampliação do abastecimento de água em toda a cidade e, principalmente, da solução de todo o problema de esgoto lançado a céu aberto na região do Jardim Canadá e do Vale do Sereno. Neste sentido, estreitamos nossa relação com a companhia e vamos disponibilizar uma sala na sede da Regional Noroeste para trabalhar a questão do esgoto não doméstico com empresários locais.

Ainda na região, aproveitamos para visitar as obras de um dos equipamentos públicos mais aguardadas pelos nova-limenses: a Policlínica do Jardim Canadá, que também terá anexa uma nova Unidade Básica de Saúde. Não mediremos esforços para que essa importante obra, a primeira do nosso pacote anunciado no mês passado, esteja pronta para atender os usuários ainda neste ano.

Essas ações evidenciam que, apesar de todas as dificuldades que enfrentamos, temos trabalhado diuturnamente para melhorar os serviços prestados e elevar a qualidade de vida em nossa cidade, cumprindo os compromissos que assumimos com a população.

Vitor Penido

Fonte: Prefeitura de Nova Lima

Previous Deslizamento iminente compromete trânsito na subida da Avenida Senhora do Carmo e coloca em risco a população.
Next Obra em muro de contenção da BR-356 pode durar até cinco meses